ptzh-CNenfrdeites

Notícias

Seis dias, seis concertos, uma missa e seis mini-recitais preenchem o programa do I Festival de Órgão de Santarém, a acontecer no centro histórico da cidade, local onde se encontram seis órgãos de tubos, um caso único no país.

 O I Festival de Órgão de Santarém (FÓS) vai decorrer entre os dias 9 e 18 de Novembro, no centro da cidade que possuiu o maior número de órgãos de tubo ibéricos concentrados no espaço da sua zona histórica.

O encontro, que se realiza em pleno Ano Europeu do Património Cultural, e na data em que Santarém a celebra 150 anos de elevação a cidade, é uma iniciativa da Câmara Municipal de Santarém, da Diocese local e da Santa Casa da Misericórdia de Santarém, e conta ainda com a colaboração do Conservatório de Música e Artes do Centro.

Para esta primeira edição, o FÓS pretende apresentar o órgão num contexto de música de câmara, realçando o seu papel no acompanhamento e como instrumento de maior relevo no seio de uma orquestra, para além de destacar a sua importância como instrumento solista.

Tendo como objetivo “criar uma vivência de aproximação e abertura do património à cidade e às suas gentes”, a organização do evento aponta ainda que, após a realização dos ciclos de órgão em anos anteriores, “este será o momento de crescimento e de apresentação de um novo modelo, com uma maior concentração dos concertos, em dois fins-de-semana, procurando-se, sobretudo, uma maior dinâmica e envolvimento do público com as instituições da terra, valorizando as diferentes formas de património e cultura”.

Para além da divulgação do património organístico de Santarém, o programa do Festival inclui atuações de diversas pessoas que se dedicam à arte da música nesta cidade, estando previstas as participações d entidades como o Conservatório de Música de Santarém; o Coro do Círculo Cultural Scalabitano e a Schola Cantorum da Catedral de Santarém.

Os pontos altos desta festa do órgão terão lugar durante os concertos de órgão e orquestra, dirigidos pelo reconhecido maestro Cesário Costa, e com o espetáculo de encerramento do Festival, a cargo do conceituado organista Jesús Gonzalez Lopez, vindo de Espanha.

Programa da festa

O festival começa na noite de 9 de Novembro, após as 21h00, na Igreja da Misericórdia, onde atua o cantor Bruno Nogueira, licenciado em Música Antiga pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto. Será acompanhado pelo órgão de Margarida Oliveira, formada em órgão pela Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), a organista é também mestre em órgão pela Universidade de Évora, sendo ainda professora e coordenadora da classe de teclas do Conservatório de Música e Artes do Centro, sedeado em Fátima

A 10 de Novembro, a partir das 16h00, vai decorrer um primeiro ‘Passeio musical pelos órgãos históricos de Santarém’, com início na Igreja de Nossa Senhora de Marvila, onde atuam Lídia Correia e Marta Cruz, em representação do Conservatório de Música de Santarém. As duas organistas, ambas licenciadas em Órgão pela Universidade de Aveiro, apresentam um programa a solo e a quatro mãos.

Pelas 16h35, será a vez de a Igreja da Misericórdia receber a Escola Superior de Música de Lisboa, que trás até Santarém Maria Moura, licenciada em Órgão pela Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), e Maria João Abreu, atualmente ainda frequentar a licenciatura em Órgão na mesma escola.

Finalmente, depois das 17h10, realiza-se na Igreja de São Nicolau uma sessão que conta com Inês Machado, licenciada e Mestre em ensino de Órgão pela ESML, acompanhada pelo Coro do Circulo Cultural Scalabitano (CCCS), dirigido pelo maestro António Matias, que lidera um grupo que evoluiu a partir do Orfeão Scalabitano, fundado em 1925, em Santarém e do Coro Alfredo Keil, cuja atividade se desenrolou entre 1962 e 1969.

Música na Catedral

Ainda a 10 de Novembro, na Igreja de Nossa Senhora de Marvila, pelas 21h00, apresentam-se André Ferreira, em órgão, com a Orquestra Bomtempo, sob a direção de Cesário Costa. André Ferreira possuiu licenciaturas do Conservatório de Amesterdão e da ESML, local onde obteve igualmente o grau de mestre em órgão. Já a Orquestra Bomtempo, iniciou a sua atividade na temporada de 2017, tendo como diretor artístico e maestro que a vem dirigir em Santarém. Cesário Costa possuiu o curso superior de piano, obtido em Paris, e é licenciado e Mestre em Direção de Orquestra pela Escola Superior de Música de Würzburg, na Alemanha.

A Catedral de Santarém, no Largo do Seminário, é o local escolhido para a atuação da tarde de 11 de Novembro, a partir das 16h00. O organista Tiago Ferreira, licenciado em música sacra pela Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa, vai ser acompanhado pelo Coro da Lapa, dirigido por Filipe Veríssimo, também licenciado em música sacra pelo mesmo estabelecimento de ensino. O músico é ainda organista titular e Mestre Capela da Igreja de Nossa Senhora da Lapa, no Porto, sendo maestro do Coro Polifónico da Lapa, desde Novembro de 2002, dois anos após a fundação deste agrupamento, criado pelo padre Ferreira dos Santos, no ano de 2000.

A 16 de Novembro, pelas 21h00, na Igreja de Igreja de São Nicolau, atuam Daniel Nunes, em órgão, Edgar Barbosa, em rompa. O primeiro frequenta atualmente o mestrado em performance na cidade de Amesterdão, na Holanda, enquanto o segundo interveniente possuiu uma licenciatura da Academia Nacional Superior de Orquestra, referente ao curso de instrumentista de orquestra.

Passeio pelos órgãos históricos

Para a tarde de 17 de Novembro, o programa inclui um segundo ‘Passeio Musical pelos Órgãos Históricos de Santarém’, com início pelas 16h00, na Igreja de Nossa Senhora de Alcáçova. No templo junto do jardim portas do Sol apresenta-se David Paccetti Correia, diplomado em órgão pelo Conservatório Superior de Música de Saragoça, sendo também licenciado em órgão pela Universidade de Évora.

Às 16h35, na Catedral de Santarém faz-se escutar a voz de Hélia Castro, diplomada em Canto pelo Conservatório de Música de Gaia, com acompanhamento instrumental a cargo de Daniela Moreira, licenciada e mestre em ensino de órgão pela ESML.

O roteiro termina na vizinha Igreja de Nossa Senhora da Piedade, onde, pelas 17h10, toca o organista Jesús Gonzalo López. Diplomado pelo Conservatorio Superior de Música de  Zaragoza, onde também é professor, desde 1995, e responsável pelo departamento de música antiga, o instrumentista espanhol é ainda Catedrático em cravo pelo Conservatório Superior de Música de Salamanca.

Ainda a 17 de Novembro, depois das 21h00, na Igreja de Nossa Senhora de Marvila, actuam João Vaz, em órgão, e a Orquestra Bomtempo, com direção de Cesário Costa. O organista é diplomado em órgão pela ESML e pelo Conservatório Superior de Música de Aragão, em Saragoça, Espanha, sendo ainda doutorado em música e musicologia pela Universidade de Évora.

Finalmente, no último dia do festival, a 18 de Novembro, haverá uma missa dominical na Catedral de Santarém, a partir das 11h00. O órgão tocado por David Paccetti Correia acompanha o Coro da Schola Cantarum da Catedral de Santarém, sob a direção de Pedro Rodrigues, licenciado em direção coral e formação musical pela ESML. Fundado em 2012 pelo padre Joaquim Ganhão, da Diocese de Santarém, o Schola Cantorum é único coro-escola oficialmente associado a uma catedral em Portugal.

O encerramento do I Festival de Órgão de Santarém fica a cargo do espanhol Jesús Gonzalo López, que vai tocar no órgão da Igreja de Nossa Senhora de Marvila, após as 16h00.