Notícias

Nasceram no Cartaxo como forma de trazer a Portugal bandas e músicos com sonoridades pouco habituais por estes lados. Chegam este ano a Santarém, em parceria com o projeto Verão In.Str para promover o festival Reverence, que se realiza em Setembro na Ribeira de Santarém. Todos os concertos das Cartaxo Sessions acontecem no centro histórico da cidade, no Largo de Marvila. O próximo tem lugar já na quinta-feira, 02 de Agosto. Ana Búzio, natural de Santarém, conta toda a história.

Como surgiram as Cartaxo Sessions?

As Cartaxo Sessions surgiram em 2012 pela vontade do Nick Allport em trazer ao Cartaxo bandas alternativas que nunca tinham vindo a Portugal. Já tinha havido em 2011 uma experiência com os Ringo Deathstarr, que correu muito bem, e, em Setembro de 2012, vieram cá os britânicos The Telescopes. A partir daí, quase todos os meses houve concertos no Centro Cultural do Cartaxo. Por aqui passaram  Dead Skeletons, A Place to Bury Stranger, Wooden Shijps, Lumerians, Psychic TV, entre tantas outras bandas!

Foi uma fase mágica para todos os envolvidos. Vinham pessoas de todas as partes do país para assistirem a esta nova cena que se passava no Cartaxo. Eventualmente, tudo isto deu o mote a que outras promotoras conseguissem também trazer bandas que pura e simplesmente não passavam por Portugal. Deste movimento, nasce em 2014 o festival Reverence e as Cartaxo Sessions entraram em pausa até Janeiro deste ano. Voltámos com um formato diferente, mais dedicado a projetos nacionais, mas sem pôr de parte bandas de fora. Em Abril tivemos os espanhóis Ola La Meta e até ao final do ano vamos ter mais novidades. Temos a programação fechada até ao final do ano e estamos a planear o ano de 2018, por isso apelamos a todas as bandas interessadas, que nos enviem mensagem para o nosso Facebook (facebook.com/cartaxosessions).

Como aconteceu esta junção ao programa da iniciativa ‘Verão In.Str é um espanto!’?

A parceria com o Verão In Str surgiu da nossa vontade em extrapolar as Cartaxo Sessions para outros locais do distrito. Há muita gente que infelizmente ainda não conhece o trabalho que fazemos e esta é uma forma de atingirmos mais público. Esperamos que depois destas três sessões agendadas para Santarém consigamos trazer mais escalabitanos ao Cartaxo. É uma tarefa árdua convencer a população das cidades circundantes a ir para fora ver concertos. E com isto, aproveitamos para apelar a todos que apoiem a cultura. Vão ver espetáculos. Sem vocês, as pequenas promotoras não conseguem sobreviver. Só temos a agradecer à equipa do In.Str que foi impecável connosco e prestou-nos todo o apoio que precisámos. Esperamos que para o ano possamos continuar esta parceria. Do outro lado temos o Reverence Santarém. Dada a relação umbilical que temos com o festival, achámos que faria todo o sentido que estas sessões fossem um aquecimento para o que vai acontecer na Ribeira de Santarém nos dias 8 e 9 de Setembro. É também a nossa forma de prestar apoio aos nossos amigos do Reverence.

Esta mudança para Santarém é algo esporádico, ou poderá vir a tornar-se algo mais comum?

Temos sempre vontade de aceitar novos desafios. A nossa casa mãe é o Centro Cultural do Cartaxo, no entanto, estamos sempre abertos a levar as Cartaxo Sessions a outros sítios. Num futuro próximo contamos trabalhar com a A9, associação escalabitana que também promove concertos. Se não conhecem, procurem-nos no facebook. Somos tão poucos no distrito a dinamizar este tipo de atividades menos dedicadas às massas, que é imperativo apoiarmo-nos.

O que acha do local previsto para a realização de espetáculos, mesmo no centro histórico de Santarém?

Quando Nuno Domingos nos apresentou os diversos locais onde os concertos podiam acontecer, o Largo de Marvila, ou Praça Visconde Serra do Pilar, saltou-nos logo à vista. Tem tudo a ver com o conceito das Cartaxo Sessions. É acolhedor, e para mim enquanto escalabitana, um dos largos mais bonitos da cidade. Em termos de envolvência, estamos rodeados de bares, o que não só é positivo para quem vem ver o espetáculo, como para os proprietários dos estabelecimentos. Adoramos saber que estamos a contribuir para um aumento das vendas nestes locais. É importante apoiar o comércio local e criar novos hábitos no centro da cidade.

As Cartaxo Sessions são apresentadas como um aquecimento para o Reverence Festival, que este ano se realiza na Ribeira de Santarém. Como vê essa mudança?

Apesar do festival ter mudado de sítio, a essência e a vontade de trazer o que de melhor se faz na cena psicadélica, stoner, doom, shoegaze, entre outros géneros mais alternativos, é a mesma. O local pode ter mudado, mas o festival é o mesmo. As pessoas são as mesmas e o conceito o mesmo. Vários festivais já mudaram de sítio, e não deixaram de ser mais ou menos apelativos por isso. Não perderam a sua identidade. Por vezes, as mudanças são necessárias, e penso que a Ribeira de Santarém é um local de excelência para um festival. Com o comboio à porta, e estando na capital do distrito, a oferta de alojamento e restauração é muito maior. 

 

Cartaxo Sessions In Santarém . Reverence Warm Up

Quinta-feira, 03 de Agosto, 21h45 . Praça Visconde Serra do Pilar (Praça Velha/Largo de Marvila)

ASTRODOME  

Os Astrodome são uma banda de heavy psych do Porto que se revê nas longas viagens musicais e na capacidade de contar uma história através de música puramente instrumental. O seu álbum homónimo de estreia conta com nova edição em vinyl pela britânica HeviSike Records e a banda realizou recentemente a sua primeira tour europeia depois de dezenas de concertos em Portugal e Espanha onde pisaram palcos como Sonic Blast Moledo, Jardins Efémeros e Black Bass Évora Fest. www.facebook.com/astrodomeband

IGUANA 

Iguana é um duo originário de Lisboa, mas de sangue conimbricense, composto por guitarra e bateria. Juntos desde o início de 2017, Eduardo Martins e Gonçalo Madama exploram neste projecto ambiências psych-doom e fuzz envolvidas em tremores sismicos e mantras xamânicos. www.facebook.com/iguanasimilis

 

Cartaxo Sessions In Santarém . Reverence Warm Up

Quinta-feira, 24 de Agosto, 21h45 . Praça Visconde Serra do Pilar (Praça Velha/Largo de Marvila)

THE TWIST CONNECTION 

Uma mala de experiências, de histórias, música feita com ideais, um disco de febre e ritmo, uma personalidade moldada por ouvidos insaciáveis e descobertas sempre originais. Após um período de estrada, os Twist Connection estão preparados para lançar o primeiro álbum. Stranded Downtown é a surpresa deste final de ano do trio de Coimbra composto por Samuel Silva (The Jack Shits, Los Saguaros, Sonic Reverends), na guitarra, Sérgio Cardoso (É Mas Foice, WrayGunn), no baixo, e Carlos Mendes ‘Kaló’ (Tédio Boys, WrayGunn, Bunnyranch e Parkinsons), na bateria, onde florescem relatos e tão boas referências e confluem estilos, todos eles marcantes no trajeto dos músicos, com forte ligação ao blues e ao garage e um abraço sentido a heróis intemporais ou rock stars seminais, podendo-se recuar e avançar a décadas marcadas pelo rock´n´roll. www.facebook.com/thetwistconnection

WHALES 

Vencedores da edição de 2016 do Festival Termómetro, os Whales são uma das mais recentes revelações da nova música de Leiria. www.facebook.com/whalespt