Notícias

O Jardim Portas do Sol vai receber o festival SoundSet Fest nos dias 28 e 29 de Julho. Vão ser dois dias de música de um evento que acontece ao mesmo tempo em que decorre o festival Street Food, este ano dedicado às Comidas do Mundo. Gustavo Pita Soares, da Associação Cultural Em Nome da Rosa, conta o que vai acontecer durante o próximo fim-de-semana.

 

Como surgiu esta parceria no âmbito do projeto Verão In.Str?

No decurso dos últimos meses um conjunto de pessoas, com profundas raízes à cidade de Santarém, idealizaram e concretizaram um projeto sob a forma de uma associação cultural, com o objetivo de estimular e envolver os seus associados na comunidade onde estão inseridos através da promoção de eventos artísticos.  Em nome da Rosa, Associação Cultural começa a dar os primeiros passos rumo aos objetivos pretendidos, sendo este o primeiro evento a que nos estamos a associar.

O caminho foi relativamente fácil dado que fomos encontrando pessoas que nos foram facilitando o percurso. Depois de apresentado o nosso projeto, e ao sermos convidados para integrar o Verão In.Str, conjuntamente com o Street Food, a resposta foi imediatamente positiva. É uma honra para nós podermos participar e estarmos inseridos num projeto tão relevante na nossa cidade.

Em que moldes se vai realizar o festival SoundSet Fest, previsto para os dias 28 e 29 de Julho?

O Festival de música SoundSet Fest consiste em trazer à cidade de Santarém um evento com uma oferta musical diversificada, incluindo artistas a solo, conjuntos que misturam sons mediterrâneos e sul-americanos, jazz e blues. Quisemos, por isso, contribuir para complementar a oferta cultural existente na cidade, através de uma celebração que julgamos acrescentar valor pela sua diversidade e diferenciação. Adicionalmente, focamo-nos em montar um festival que fosse descontraído, agradável, num ambiente distendido. O In.Str proporcionou-nos a preciosidade de podermos realizar o evento num local de sonho, com a curva do Tejo ali de fronte e a lezíria a perder-se de vista diante dos nossos olhos. É toda esta magia agregadora que faz do Festival SoundSet Fest um evento a não perder.

Quem são os músicos que vão atuar ao vivo e qual o critério de escolha?

Iremos trazer à cidade sete projetos distintos. O Pedro Salvador é um artista a solo que trabalha a multiplicação de sons da guitarra elétrica de forma magistral. De seguida teremos a Joana Guerra que nos trás igualmente um projeto a solo, e que conjuga dois instrumentos improváveis: Violoncelo e Voz. Imperdível! Concluímos o dia 28 com sons cruzados entre o Mediterrâneo e a América Latina com o conjunto El Sur.

O dia 29 abre com os Quarto Escuro, um trio composto por saxofone, guitarra e precursão, onde misturam jazz, world music e rock. De seguida teremos os Cora Pearl Sings the Blues, onde o estilo musical espelhado na sua denominação se enriquece com a magistral voz da Joana Lima. Único! Depois finalizamos com dois conjuntos de dança-jazz, os 24 Robbers e os Stomping at Six, e que, pela energia e empatia, irá certamente contagiar o público, convidando-o à participação.

Está satisfeito com o local de realização do festival e com o facto de se realizar simultaneamente com a iniciativa Street Food?

Podermos concretizar este projeto no espaço ao ar livre com uma das mais bonitas envolventes da cidade de Santarém, como é o Jardim das Portas do Sol, aliado ao festival Street Food, é para nós uma honra e a solução perfeita. O casamento entre gastronomia e música é excelente e faz todo o sentido que seja combinada. Quando nos foi transmitido que a data que estávamos a propor coincidia com o Street Food e se víamos isso como um problema, a resposta foi clara, imediata e inequívoca: é uma excelente oportunidade, e abraçámos de imediato a ideia.

Considera que o projeto Verão In.Str tem contribuído para atrair visitantes ao centro histórico da cidade?

É um privilégio e um orgulho para os cidadãos scalabitanos ter um projeto como o In.Str. Este programa é o resultado de vontades diversas de conjuntos de cidadãos, apoiados pela Câmara Municipal de Santarém, como fator catalisador e sem o qual tudo seria mais dificultado, e que permite no final uma oferta diversificada e muito abrangente.

Naturalmente, quando um projeto como o In.Str ganha massa crítica, e com a facilidade com que a informação hoje em dia passa além das fronteiras regionais, acaba sempre por atrair à cidade visitantes. A dinâmica das urbes constrói-se assim, com pequenos passos que todos somados vão gerando valor e vida própria, e que no tempo trazem mais e mais pessoas a querer estar e conviver com o quotidiano da cidade.

Acreditamos que este projeto Verão In.Str… é um espanto!, como certamente outros projetos, contribuem para a atração de visitantes à cidade hoje, e continuarão certamente a contribuir e reforçar amanhã, seguramente.

Como nota final, não podemos deixar de sublinhar e agradecer a intervenção, incentivo e apoio da Câmara Municipal de Santarém, através da iniciativa In.Str, na pessoa do Dr. Nuno Domingos, sem o qual não teria sido possível, da nossa parte, realizar este evento.