Notícias

Todos os sábados de manhã há um desfile de grupos folclóricos pelas ruas do centro histórico de Santarém. A cultura popular trazida por grupos etnográficos da região, empenhados em não deixarem morrer as antigas tradições locais, conta com a parceria do Inatel. Fernando Lopes, coordenador da delegação de Santarém explica o conceito.

 

Como surgiu esta colaboração e parceria com o Inatel, nomeadamente com a iniciativa In.Tradição?

No seguimento de contactos estabelecidos com a Câmara Municipal de Santarém, por forma a estabelecer parcerias na realização de atividades culturais, surgiu a possibilidade e a vontade de a Fundação Inatel se unir a esta iniciativa na edição de 2016, incluindo a participação de grupos etnográficos filiados na Fundação Inatel (CCD – Centros de Cultura e Desporto) nesta programação, envolvendo um elevado número de pessoas e esperando um bom resultado ao nível de visibilidade e de público, contribuindo para o desenvolvimento de uma programação cultural em conjunto, no centro histórico da cidade, numa perspetiva de partilha de custos e de aglomeração programática, divulgada em bloco, por forma a facilitar a sua viabilização económica e cativar novos públicos.

Como se tem processado o convite para os participantes nos desfiles etnográficos no centro histórico de Santarém, sobretudo aos sábados de manhã?

Esta linha programática In.Tradição foi introduzida em 2016 na iniciativa, sendo dinamizada pela Fundação Inatel e visando envolver os CCD Inatel da região atuantes na área da etnografia, da música tradicional e na salvaguarda do Património Cultural Imaterial.

Foi, assim, lançado o desafio aos grupos CCD Inatel de recriarem uma forma diferente de apresentação das suas atividades, permitindo-lhes também estimular a diversificação das suas apresentações.

A programação consiste, essencialmente, em animação cultural itinerante de curta duração, em vários locais do centro histórico da cidade nas manhãs de sábado, entre junho e setembro, e que se baseia em apresentações e recriações etnográficas, quadros vivos e danças e cantares, promovendo a interação com as pessoas.

Considera-se que esta iniciativa é, também, uma forma de apoiar o associativismo obtendo uma resposta direta e ativa por parte dos CCD Inatel, proporcionando-lhes diferentes espaços de atuação e divulgação do trabalho que desenvolvem.

O que está previsto para a festa '”POPular INATEL na Rua”?

O “POPular INATEL na Rua” é, como o nome indica, uma grande festa popular em que se pretende trazer para a rua as atividades que os CCD Inatel desenvolvem. Assim, durante três dias o público é convidado a assistir e participar em diferentes espetáculos que vão da música à dança, passando pelas artes circenses e sem esquecer a etnografia e as tradições, bem como as artes plásticas. No dia 20, quinta-feira teremos projetos musicais diferentes a partir das 21h30 em vários espaços do centro histórico. Sexta-feira, dia 21, as artes circenses animam o centro histórico e no sábado, dia 22, as tradições instalam-se no Largo de Marvila, onde poderemos assistir a diversas recriações, desde os jogos tradicionais à gastronomia local. À tarde, pelas 16h00, animação passa para o interior das Igrejas de Marvila e da Misericórdia com concertos de música coral e, pelas 22h00, encerramos esta festa com um Concerto no Jardim das Portas de Sol pela Banda da Sociedade Filarmónica Alcanedense.

Considera que esta parceria e estas iniciativas contribuem para atraírem visitantes ao centro histórico de Santarém?

Sem dúvida que sim. Tendo acompanhado todas as ações que decorreram na edição de 2016, pude verificar a surpresa e a alegria das pessoas que, desde o Mercado Municipal (que inicialmente não estava incluído no circuito mas que foi dando sinais de uma experiência muito gratificante, verificando-se ao longo do verão que muitos clientes do Mercado perguntavam se os Ranchos já tinham passado) até ao circuito entre o Largo do Seminário, Rua Capelo Ivens, Rua 1.º de Dezembro, Praça Velha e Rua Serpa Pinto onde turistas, estrangeiros, residentes e comerciantes acolheram os grupos com simpatia, participação e muitas fotos e vídeos.